Fractalistas

Algumas teorias e metodologias grafistas tentam identificar os chamados “fractais” do mercado. Fractais foram descobertos por Benoit Mandelbrot, um renomado matemático, que desenvolveu pesquisas em várias áreas.

Ele percebeu que em meio ao caos havia ordem. Mas não era organizada de maneira idêntica, mas possuíam padrões lógicos em sua formação e surgimento. Tal teoria nasceu na geometria e se desenvolveu em inúmeros campos.

Afinal, encontramos o caos em diversas áreas. E o mercado financeiro, mais precisamente a negociação de ativos em bolsa de valores, é uma dessas áreas passíveis de serem analisadas por olhares de fractalistas.

Um dos mais expoentes foi Ralph Nelson Elliott, que identificou padrões de ondas na formação dos preços. Elliott analisou uma base de dados de mais de 75 anos e milhares de ativos.

Ele identificou que há um padrão, tanto na formação, quanto no momento em que tais ondas surgem. No total são 5 (cinco) ondas da tendência e 3 (três) ondas de correção, que surgem logo após, mais conhecidas como ondas A,B, C.

A teoria das ondas de Elliott se coaduna com a teoria de Dow. Ambas levam em consideração a formação dos pivôs (ondas). E como seguem padrões, são passíveis de serem analisadas.

Através dessas ondas fazemos as projeções de fibonacci. O padrão de fibonacci se encontra em diversas áreas da natureza, desde a formação de flores, até o processo de multiplicação de células.

Tal padrão se encontra também em várias áreas criadas pelo homem, desde a arquitetura até a negociação de preços. Veja que são inúmeras ferramentas que visam identificar padrões.

A Análise Técnica tem um caráter matemático devido a ser um campo possível de se aplicar inúmeros conceitos e instrumentos que visam a identificação de padrões. Eles são o cerne desta metodologia de análise.

Portanto, todo Grafista é em essência um Matemático, um Identificador de padrões, um Fractalista.

Renan Antunes